quarta-feira, dezembro 29, 2010

Novidades Fresquinhas

Quem nos conhece e acompanha ou acompanhava este blog com regularidade, sabe que dificilmente encontrará aqui algum assunto discutido em registo mais serio.

Afinal de contas, neste pais onde se fala tanto em crise e que as pessoas andam deprimidas e mais isto e aquilo, sabe sempre bem deixarmos as preocupações de lado e pura e simplesmente lermos uma boa verborreia a moda antiga e rir... Sim, simplesmente rir... Ou ficar com náuseas, isso também resulta para nos.

Foi sempre o propósito deste blog desde o inicio, ser um espaço de descarregar de tensões, onde opiniões poderiam ser expressadas como as pessoas bem entendessem, da forma como quisessem e lhe apetecesse. Sempre foi essa a essência d'O Dia Seguinte.

Como "bloguista", tenho umas novidades na calha que serão atempadamente comunicadas... Irei criar também a pagina do Facebook para o blog.

Anyway, estejam atentos as novidades vindouras.
Foda-se!

sexta-feira, abril 23, 2010

dogs of war

e deu-me a inspiração numa destas noites, a ler pura poesia do Seph. Comovido e com alguns gases, inspirei os versos e soltei os meus próprios. Aqui vai

"Requiem Por Uma Rima Forçada Que Só Aparece No Final"

meu pardal meu pardal
minha rosa no canteiro
meu alecrim com cheiro
minha sinfonia de Chopin
meu algarvio com tia alemã

ah pardal pardalano
cantas para mim e para o cigano
melhor que uma cigarra ou um tucano
és o rei da melodia
és o mais famoso pardal da mouraria

mas pardal pardalito
tens um cheiro esquisito
e cantas como o Danny Devito
às vezes apetece-me dar-te porrada
ou amordaçar-te e deixar-te a dentro de um saco na estrada

oh pardal pardalinho
que tanto cantas no teu ninho
qualquer dia vou-te ao focinho
faço-te uma espera à porta do trabalho
com os meus amigos da tasca, o Silva e o Carvalho.

chiça pardal, pardal
meu inutil animal
minha ceifeira de portugal
meu semáforo emocional
meu grande atrasado mental

Minha grafonola desregulada
meu Nel Monteiro de rotação alterada
meu bacalhau sem alho
minha palha mulher do palho
pardal pardaralho
és um chato do caralho.

e um pequeno bónus, também de poesia, mas desta vez importação dos haikus japoneses para a versão portuguesa que se está a cagar para o número de sílabas. Chamo-lhes Haikumi Tuakota

[ cai a neve e
na mesa de cabeceira mais
uma nota de um cliente ]


[ao contrário do difícil de olhar para o sol
a tua mãe
é facil]

[o urso e a lebre
em nada se comparam
à cabra da tua mãe]

[se a tua mãe nevasse
e tivesse nome de estação
chamava-se 5 Euros]

[tal como as folhas perdem cor no Outono,
também a tua mãe
cobra mais na Páscoa]


quarta-feira, abril 14, 2010

ESPARTA!!!

Porque é que algumas pessoas ficam com o síndrome Rei Leónidas quando carregam guarda-chuvas no metro???

domingo, abril 11, 2010

Domingo

Na tradição estival deste blog e a pedido de muitas famílias, aqui regressa uma tradição literária d'O Dia Seguinte.
Enjoy.

Boas novas chegam, toda a gente regozija
A tempestade passou e agora reina a calmaria
Estava a fazer uma mija,
e agora "BOLAS!" com a excitação falhei a merda da pia.

Tinha acordado mesmo há pouco
Ainda estava meio a dormir
Só me apetece dar-te um soco,
Minha puta porque te estás a rir?

Agora mijei as calças todas
e tu estás para aí a gozar,
vou mas é à rua ver como param as modas
Para esse focinho eu não te arrebentar.

Saí todo fodido
Que me olvidei de me mudar
Saí com as calças manchadas
Nao era segredo que acabei de me mijar.

Ao sair porta fora,
Os oculos de sol estava a por
Continuei sem domora
senti de seguida um odor...

Ao descer a calçada reparei
Mas que merda de dia,
Bosta de cão eu pisei
"Ai a cona da minha tia!!"

Numa esplanada decidi sentar-me
Puxo dum cigarro e deixo-o repousar no canto da boca
Tudo isto já estava a irritar-me
Esta gente faz-me saltar a touca!

Tomei o meu café,
A pensar de mim para comigo
Será que sim, será que consigo
Aguentar um cagalhão debaixo do pé?

A certa altura dei por mim a pensar
se o cócó seria de cão
Se de cão não fosse, pobre cú de onde saíu este cagalhão.

sábado, fevereiro 27, 2010

HOUVERAM!

Pois é caríssimos amigos, eis que chegou um momento inevitável na existência de qualquer espaço de opinião na Internet em que vem um "chico-esperto" qualquer, que provavelmente visita o nosso espaço nos intervalos entre a pornografia e as novelas da TVI, fazer observações insistentes e sucessivas em diversos posts sobre eventuais, e note-se o ênfase no 'eventuais', erros de gramática.
Ora bem, a isto chama-se nos meios 'internéticos' de Troll, querendo esta expressão indicar uma pessoa que sendo um pária da sociedade e provavelmente abusado sexualmente pelo vizinho, que o enganava ao dizer que a ponta da gaita sabia a gelado de morango, passa o seu tempo a fazer alarde dos seus dotes intelectuais num meio onde pode passar por "Anónimo"... Entrando aí a web.
Quero só aproveitar para agradecer a essa pessoa, a importância que dá a este nosso pequeno pedaço de paraíso, principalmente por se dar ao trabalho de corrigir algo que é escrito por pessoas que pouco mais são do que chimpanzés alcoolizados, pois isso só mostra que é preciso estar-se muito aborrecido para visitar este espaço, mais ainda para ler todos os posts e muito mais ainda para se dar ao trabalho de responder a dois textos com comentários a corrigir aspectos gramaticais, que como já disse, me encontrava provavelmente bêbado que nem um cacho quando os escrevi. Muito obrigado senhor Troll, muito obrigado por me mostrar que neste Mundo existem pessoas ainda mais tristes do que eu!
Tenho dito!

terça-feira, dezembro 22, 2009

uma pequena anotação para 2010

Saiu este ano o filme The Messenger, mais um filme de guerra. Está em pré-produção a sequela, The Mirc.

domingo, dezembro 13, 2009

Snakecharmer

Como os três fieis leitores do nosso blog devem ter reparado, é pouco frequente colocarmos posts. O decair do blog deu-se em 2007, com o início da actividade laboral dos três escritores (na altura cinco). Tal e qual uma boa selecção natural teorizada por Darwin, sobrámos três. Mas vocês que nos lêem atentamente há anos pouco sabem de nós a não ser a imperativa idiotice e "falta de chá". Portanto, vou aproveitar que tive a autorização dos meus colegas e fazer uma breve biografia deles.
A primeira parte será dedicada a Seph, fundador do blog. Nasceu no meio de uma plantação de couves em Fornos de Alpeirim, num belo dia de verão. A sua primeira experiência amorosa foi com um coelho chamado Fidalgo, animal de estimação da vizinha de cima que não estranhou o andar bambaleante do dito coelho. Esse relacionamento acabou quando Seph conheceu Kika, a banana sorridente. Fidalgo descobriu a traição e lançou-se de uma ponte em encontro à morte, coberto de lágrimas e com fotografias amachucadas nos bolsos das férias que ambos partilharam. Diz-se que hoje em dia, durante a época da apanha da azeitona, se ouve Fidalgo a chorar pela ponte fora. Seph, após três anos de amor compulsivo com a banana sorridente, decidiu abandonar tudo e começar uma vida nova em Lisboa, sob o nome de Ginja. Cá, o primeiro trabalho que conseguiu foi como Furador de Folhas A4. Rapidamente reconheceram o seu empenho e promoveram-no a Contador de Folhas das Resmas. Seph (ou Ginja) publicou mais tarde o se romance erótico "Fazia-te a Folha"

Aos vinte anos fundou a Casta dos Lavradores Hemorrágicos, com o objectivo de proteger os doentes do hemorroidal aquando a prática da agricultura. Ele, sempre atento aos problemas dos outros, manifestou-se em plenos pulmões contra a lei que não facilita a vida a quem tem "rama na batata" (expressão utilizada pelos membros da CLH). Quando se apercebeu que nada havia a fazer no nosso país, emigrou para o México para aprender uma velha arte de meditação, a bronzeación de los huevos, que consiste em adoptar a posição de lotus por cima de um alguidar cheio de bronzeador e mergulhar lá os ditos huevos, enquanto se entoam mantras mexicanos, como o conhecido Om-Nacho. Revitalizado e de tomatada reluzente, voltou passado uma semana e alugou uma casa em campolide com vista para a rua onde começou a ensinar a bronzeación aos seus mais próximos. No dia seguinte descobriu a cerveja, comprou um pacote de batatas fritas e ficou no sofá a ver bola, altura de ascensão mental, de um outro olhar para o mundo. Altura em que criou este blog, O Dia Seguinte.

Por hoje é tudo, brevemente espera-se a biografia de Leonidas e do Colaborador Ninja.